O Problema do Dom de Línguas - Parte I

.

Vamos analisar o texto de Marcos 16.17,18:

Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.

O texto fala de cinco sinais. Como segue:

1) Expelir demônios;
2) Falar novas línguas;
3) Pegar em serpentes;
4) Beber coisa mortífera;
5) Dom de cura.

Os pentecostais usam somente o verso 17. Por quê? O texto não fala de dois sinais, mas de cinco sinais que acompanharão aqueles que crêem.

Os pentecostais dizem que os sinais 1,3,4 e 5 podem acontecer “ocasionalmente” (sem que a pessoa deseje). Somente o sinal 2 é que pode acontecer “desejando”.

Onde o texto diz isso? Onde no texto Marcos faz diferença entre os cinco sinais? Onde no texto, Marcos separa os cinco sinais em “sinais que podem se desejados” e “sinais que podem acontecer ocasionalmente”? Os cinco sinais estão alinhados um após o outro, initerruptamente, de tal forma que o que for dito de um, será dito dos outros.

Se o sinal 2 é para a igreja hoje e os crentes têm que desejarem, então é lícito e bíblico aplicar estas características nos sinais 1,3,4 e 5.

Pergunto: alguém está disposto a tocar em serpente? Alguém está disposto a beber veneno? Alguém está disposto a impor as mãos sobre os enfermos para serem curados? Mas por quê todos estão dispostos a falar em línguas? Os que defendem a contemporaneidade dos dons alegam que esses cinco sinais não acontecem necessariamente em todos os casos de se falar em línguas. Eles alegam que os acontecimentos de Marcos 16.17,18 são sinais se ocorrerem e não se forem irresponsavelmente buscados.

Bom, a teologia pentecostal é bem clara ao exortar o crente pentecostal a “buscar” o dom de línguas. Todos eles exortam a outros crentes a “orar” e a “buscar” pelo dom de línguas. Mas, por que neste texto as pessoas não querem defender uma “busca desenfreada” pelo dom de línguas? Será que é porque o texto apresenta uma dificuldade inerente aos pentecostais? Por que em outros textos se exorta a buscar o dom e no texto de Marcos alertam contra uma “busca desenfreada”? Mas, se os cinco sinais podem acontecer ocasionalmente, por que nas igrejas pentecostais só acontece o dom de línguas? Por que só o sinal do dom de línguas acontece “ocasionalmente”? A prática revela a incoerência daqueles que falam!

Outra coisa, dos cinco sinais que devem ocorrer “ocasionalmente”, não há nenhum registro sequer no Novo Testamento dos sinais “pegar em serpentes e viver” e “beber coisa mortífera” (beber veneno). Nenhum caso, nenhuma menção sequer!

O texto, mesmo que longe de provar o cessacionismo, também não serve para provar a contemporaneidade dos dons.

Autor: Heitor Alves
Fonte: [
Eleitos de Deus ]
.
Imprimir ou salvar em PDF

10 comentários

vou acompanhar de perto quando a serie estiver completa coloco os pontos de vistas

Responder

dentre muitos que ja li sobre suas postagens! essa em nada tocou o meu espiritoO! porfavor . . nao perca a Unção!

Responder

Penso ter entendido a proposta do artigo, no entanto, pergunto se o "pegar em serpente" deve seguir exatamente essa ordem, caso contrário, tem o episódio em que a serpente agarrou-se às mãos de Paulo (quando todos pensavam que ela morreria)e como nada lhe aconteceu, começaram a considerá-lo um deus Atos 28.3-6.

Acho ditatorial e preconceituosa a oposição ao dom de línguas por tais argumentos.

Responder

PROBLEMA DO DOM DE LÍNGUAS????
Vamos recomeçar essa luta: DONS ESPIRITUAIS NA ATUALIDADE X CESSASSÃO NO PERÍODO APOSTÓLICO?
Xí... Isso vai dar o que falar. Eu particularmente quero só observar. Ainda que concorde com pouco. Mas, VIVA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

Responder

Amados,
em 1º lugar num interprete um texto isoladamente, pq com certeza sairá uma heresia.
2º Lugar ao verm,os as pessoas batizadas com o Espírito Santo vemos que a confirmação deste vatismo era as línguas estranhas.
3º lugar quando Pedro vai pregar após o batismo ele diz que aquela manifestação que estava acontecendo no cenáculo era para todos quanto Deus chamar At 2:39.
Amados como vcs querem trazer um estudo sobre línguas estranhas sem trazer 1Co 12, 1Co 14, e várias passagens de Atos.
Fiquem na paz!

Blog Emunah

Responder

Prezados irmãos do Bereianos,
o mesmo argumento utilizado no outro texto sobre linguas vale para este. Para pensar: Se o 5 sinais devem acontecer simultaneamente teremos que afirmar categoricamente que todos os seres humanos estão possessos de demônios quando houve a ocorrência do falar em outras línguas. O autor pergunta se todos estão dispostos impor as mãos sobre os enfermos, eu pergunto se houve alguém doente na igreja nós não imporíamos as mãos e não pediriamos a Deus a cura. Este dom de curar é algo que pentencostais e tradicionais exercitam todos os momentos. Tantos uns como outros pedem a Deus pela cura. O texto de Marcos não fala sobre Dom de Cura, mas de orar sobre e com os enfermos. Isso todos nós fazemos não é verdade?
Parece-me que para o autor tudo deve ocorre simultaneamente como se a vida fosse uma grande forma onde tudo ocorrer igualmente.
Creio que é necessário utilizarmos outros argumentos contra o continuismo. Esse é fraco.

Responder

Antônio Cruz,

Você diz "Acho ditatorial e preconceituosa a oposição ao dom de línguas por tais argumentos".

Ora, por que alguém não pode se manifestar contra o dom de línguas sem ser tachado de "ditatorial e preconceituosa"?

Por que os que são contra sempre são chamados de "ditadores", "possuidores da verdade", "preconceituosos"?

O que é engraçado é que esses termos são sempre empregados para se referir àqueles que não concordam com a maioria!

E por acaso sou obrigado a concordar? Sou obrigado a dizer "sim" para uma doutrina que não aceito?

E se sou contra, eu naõ posso me manifestar contra? Não posso manifestar meu ponto de vista? E se posso, porque sou tachado de "ditatorial e preconceituosa"?

Me poupe!

Responder

Anderson,

Em 1º lugar, não estou citando textos isolados. Você não entendeu ainda mas esse não é o único texto que é analisado. Observe outras passagens que cito nesta série.

Em 2º lugar, você diz que "ao vermos as pessoas batizadas com o Espírito Santo, vemos que a confirmação deste batismo era as línguas estranhas". Você está enganado, irmão. Todos os textos sobre o batismo do Espírito em Atos (exceto Atos 2) nos informa que havia um apóstolo imnpondo as mãos sobre as pessoas. Se sua conclusão está correta, então onde está um apóstolo para impor as mãos sobre os crentes?

Em 3º lugar, o texto de Atos 2.38,39 fala: "Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar.. O texto não informa que a promessa é a manifestação do dom de línguas, mas o recebimento do Espírito (uma coisa não tem nada a ver com outra). Se tem, então apresente! (obs.: mostre textos que falem da descida do Espírito acompanhado do dom de línguas).

Sobre 1Co 12, 1Co 14 ainda falaremos sobre isso.

Responder

Pr. Luiz Fernando,

Você sempre está disposto a menosprezar meus argumentos. Todos os comentários dirigidos a mim sempre são acompanhados de "Esse é fraco".

Não faço questão que menospreze, o problema que seus comentários soa muito orgulhoso e prepotente.

Estranho pois o texto não fala em "orar sobre e com os enfermos", mas "se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados". O texto fala em dom de cura, tá claro. Se estivesse se referindo à oração, o texto mostraria.

Então, apresente seus argumentos "fortes"!

Responder

O artigo está correto. Os cinco sinais têm que acompanhar os que crêem, independente de ser desejando ou ocasionalmente. Não se pode apagar da Bíblia os sinais 1,3,4 e 5 como fazemos pentecostais, nem apagar o sinal 2, como fazem os tradicionais.

Abraços, Paz de Cristo.

Responder

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

1 - Poste somente o necessário. Se quiser colocar estudos, artigos ou textos grandes, mande para nós por e-mail: bereianos@hotmail.com

2 - A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Comentários com conteúdo ofensivo não serão publicados, pois debatemos idéias, não pessoas. Discordar não é problema, visto que na maioria das vezes redunda em edificação e aprendizado. Contudo, discorde com educação e respeito.

3 - Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

4 - A aprovação de seu comentário seguirá os nossos critérios. O Blog Bereianos tem por objetivo à edificação e instrução. Comentários que não seguirem as regras acima e estiver fora do contexto do blog, não serão publicados.

Para mais informações, clique aqui!

Blog Bereianos!