Pedir é determinar?

.

"E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho" Jo 14:13

Em seu livro "Exija seus direitos" RR Soares, líder da Igreja Internacional da Graça ensina que o crente não deve pedir a bênção, mas determiná-la ou exigir como um direito. A suposta base bíblica para essa sua doutrina nefasta é Jo 14:13, muito embora ele a credite a Kenneth Hagin. Ambos afirmam que "a palavra pedirdes foi mal traduzida" e que aiteo "deveria ter sido traduzido por exigirdes ou determinardes" (p. 42). Segundo ele "continuar orando, pedindo, suplicando por algo que já é seu é declarar que a Palavra do Senhor pode não ser a verdade" (p. 45). Chega ao extremo de dizer que ser paciente e suportar a provação é dar lugar ao Diabo (p. 78).

No livro ele afirma que não é versado em grego. Mas acreditou piamente no que Hagin lhe disse. Depois disse que conferiu no dicionário de Strong e que de fato a palavra aitéo também pode significar exigir, determinar. A propósito, ele define determinar como "a nossa ação com base na Palavra de Deus, o que nada mais é do que tomar posse da bênção e exigir os nossos direitos" (p. 27).

O significado de um termo deve ser buscado no uso que os autores fizeram dele nas escrituras. E quando examinamos o uso de aiteo nas Escritura descobrimos que ele jamais é utilizada com o sentido que RR Soares e Hagin lhe emprestam. E também descobrimos que as palavras determinar, ordenar, exigir, etc. jamais são utilizadas pelo homem para obter algo de Deus. Portanto, se Soares valoriza a Palavra de Deus como diz valorizar, deveria ter o mínimo cuidado para utilizá-la sem distorcer o seu significado, semeando o erro no meio do povo de Deus.

O significado bíblico de aiteo

As principais traduções e versões bíblicas traduzem aiteo como pedir. Tomando Jo 14:13 como exemplo, já vimos que a Almeida Revista e Atualizada a traduz assim, assim como a Almeida Revista e Corrigida. A Tradução Brasileira também fez essa tradução, bem como a Nova Tradução na Linguagem de Hoje. Estariam todos os tradudores enganados ou mal intencionados ao esconderem o sentido de ordenar em suas traduções? Veremos que não.

Antigo Testamento

O termo aiteo e seus cognatos são utilizados no Antigo Testamento 65 vezes na Septuaginta. O sentido é sempre de pedir, implorar, suplicar, e nunca de ordenar ou determinar. Assim, temos Elias dizendo a Eliseu "pede-me o que queres" (2Re 2:9); Jabez invocou a Deus dizendo "Oh! Tomara que me abenções" e Deus lhe deu "o que lhe tinha pedido" (1Cr 4:10); a Salomão Deus disse "pede-me o que queres que eu te dê" (2Cr 1:7) e o próprio Salomão deu à rainha de Sabá "tudo o que ela desejou e pediu" (2Cr 9:12). Vemos também Esdras dizendo que teve "vergonha de pedir ao rei" (Ed 8:22), enquanto que Neemias diz "pedi licença ao rei" (Ne 13:6) para voltar a Jerusalém. Davi não determinou, mas orou "uma coisa peço ao Senhor" (Sl 27:4), Salomão, mesmo sendo mais ousado disse "duas coisas te peço" (Pv 30:7). Isaías disse a Acaz "pede ao Senhor, teu Deus, um sinal" (Is 7:11) e Jeremias observou que durante o cerco de Jerusalém "os meninos pedem pão" (Lm 4:4). Para que seus três amigos fossem constituídos sobre os negócios da Babilônia, Daniel não determinou ao rei, mas fez um pedido (Dn 2:49). Finalmente, Zacarias disse "pedi ao Senhor chuva no tempo das chuvas serôdias" (Zc 10:1).

Em todas as passagens acima a Septuaginta utiliza aiteo, e em nenhuma delas a tradução determinar é cabível. Imagine Eliseu exigindo de Elias a porção dobrada, Jabez ordenando a Deus que alargasse os seus limites, Salomão determinando que Deus lhe desse sabedoria e a rainha, em sua visita de cortesia a Salomão ordenasse que este lhe desse o que ela desejasse! Seria absurdo. Como seria despropositado também que Esdras, Neemias e Daniel exigissem seus direitos junto ao rei, que Davi, Salomão e Acaz dessem ordens a Deus e meninos famintos exigissem seus direitos! Portanto, o uso que os setenta fizeram de aiteo na tradução do Antigo Testamento para o grego não deixa dúvida que pedir, rogar, suplicar, etc. é a tradução mais adequada e que qualquer termo que denote autoridade não é apropriada.

Novo Testamento

Já vimos que no uso que os tradutores da Septuaginta fizeram de aiteo não cabe o sentido de ordenar, determinar, mandar, exigir ou qualquer outro que Hagin e seu aprendiz queiram dar. Mas sei que Hagin principalmente despreza o Antigo Testamento, então vejamos se o Novo lhe dá algum apoio às suas idéias. A palavra aiteo aparece diversas vezes nos evangelhos e nos demais escritos do Novo Testamento. Jesus diz que o Pai sabe o que seus filhos precisam "antes que o peçais" (Mt 6:8), mesmo assim orienta "pedi, e dar-se-vos-á" (Mt 7:7), pois "qual pai se porventura seu filho lhe pedir pão lhe dará uma pedra?" (Mt 7:9). Vemos que a mulher de Zebedeu se aproximou dEle, o adorou e "pediu-lhe um favor" (Mt 20:20). No verso seguinte ao utilizado como cavalo de batalha por Soares Jesus diz "se me pedirdes alguma coisa coisa em meu nome eu vos darei" (Jo 14:14). À porta Formosa, o coxo de nascença pedia esmola (At 3:2) e Paulo escreveu aos Colossenses "não cessamos de orar por vós e de pedir" (Cl 1:9). Aos faltos de sabedoria Tiago preceitua "peça-a a Deus" (Tg 1:5) e João anima com o testemunho de que "aquilo que pedimos, dEle recebemos" (1Jo 3:22).

Em todas essas passagens e outras não mencionadas, aiteo é utilizada para mostrar alguém pedindo encarecidamente a alguém que tem autoridade maior e que poderia conceder o pedido ou não, de acordo com sua vontade. É um contra-senso pensar que um filho pode determinar o que seu pai deve lhe dar, que a mãe de Tiago e João poderia adorar a Jesus e em seguida lhe dar ordem ou fazer exigências ou que um aleijado de nascença pudesse exigir direito a esmolas, que por isso deixaria de ser esmola. A esta altura RR Soares diria "Exigir ou determinar a bênção não é dar ordens ao Senhor" (p. 46). Porém, se aiteo significa determinar, ordenar, exigir e se aiteo refere-se àquilo que queremos receber de Deus, então forçosamente a ordem é dada a Deus. Jesus disse "se me pedirdes" e Tiago escreveu "peça a Deus". No mínimo RR Soares deverá explicar porque aiteo em Jo 14:13 significa ordenar, exigir e no verso seguinte significa pedir, suplicar, etc. O emaranhado que ele se meteu é tal que a conseqüência lógica de seu raciocínio beira à blasfêmia, pois ou faz do Diabo a fonte de bênção do crente ou a criatura mete-se a mandar no Criador!

Jesus e nós

RR Soares afirma que não devemos pedir, pois Jesus não pedia nada ao Pai, apenas determinava, ordenava, exigia. Escapou-lhe um detalhe que faz toda diferença: não somos Jesus e embora ele tenha participado de nossa humanidade nós não participamos de sua divindade. Ele é Senhor, e nós servos. Jesus não era apenas um homem, era verdadeiro Deus. Mas há outro detalhe que Soares não percebeu e seu mestre não lhe alertou. Jesus nunca se referiu a si mesmo como pedindo ao Pai utilizando o termo aiteo. Por quê? Porque aiteo se refere a um inferior pedindo a um superior, e Jesus é igual ao Pai. Assim, quando refere-se a um pedido ao Pai ou quando ora, Jesus utiliza o termo erotao, que é mais usado para um pedido entre iguais. Na mesma passagem que nos manda pedir (aiteo) Jesus disse "eu rogarei ao Pai" (Jo 14:16), utilizando erotao. Numa outra passagem Jesus diz "naquele dia, pedireis (aiteo) em meu nome; e não vos digo que rogarei (erotao) ao Pai por vós" (Jo 16:26). Mesmo quando a tradução é pedir, o termo utilizado por Jesus é erotao, como em Jo 17:15. Então, se aiteo é determinar, temos que Jesus nunca determinava, enquanto que os discípulos deveriam fazer isso, o que só faz sentido na mente de Hagin e Soares.

Determinar e ordenar

Apesar de aiteo não significar determinar, ordenar ou exigir, estas são palavras que ocorrem na Bíblia. Mas não estão relacionadas ao recebimento de bênçãos de Deus através da oração. Uma das palavras utilizadas para traduzir determinar é keleuo, traduzida também por comandar, ordenar. Assim, Jesus "ordenou que passassem para a outra margem" (Mt 8:18) e Herodes "ordenou que lha desse [a cabeça de João Batista]" (Mt 14:19). Quando José de Arimatéia pediu (aiteo) o corpo de Jesus, Pilatos "mandou que lho fosse entregue" (Mt 14:19). Em nenhuma ocasião keleuo é utilizado para que crentes tomassem posse da bênção. Outra palavra grega utilizada como determinar é prostasso. Das sete vezes em que ocorre, em nenhuma refere-se a crente usando de autoridade para receber bênçãos (Mt 1:24; 8:4; 21:6; Mc 1:44; Lc 5:14; At 10:33,48). Outra palavra às vezes traduzida determinar é paraggello, como usado em "Jesus ordenara ao espírito imundo que saísse do homem" (Lc 8:29). Esta mesma autoridade usou Paulo para expulsar demônios (At 16:18), mas isto está longe de ordenar anjos que nos tragam a bênção. Horizo também pode é traduzido como determinar, como por exemplo em Hb 4:7, porém em nenhuma de suas oito ocorrências refere-se a crentes determinando a bênção. Como essas, há outras palavras que transmitem a idéia de determinar, porém nãos e aplicam a crentes obtendo bênçãos de Deus.

A palavra normalmente traduzida como ordenar, mandar é epitasso. Jesus mandou que espíritos fossem para o abismo (Lc 8:31), Herodes mandou que trouxessem a caça de João Batista (Mc 6:27), o sumo sacerdote mandou que batessem na boca de Paulo (At 23:2) e o próprio Paulo reconehceu que pdoeria ordenar o que quisesse a Filemon, mas nenhuma dessas pessoas estavam determinando a bênção para suas vidas!

Conclusão

O autor de "Exija seus direitos" confessou não ser versado em grego. Eu também não sou. Porém, mesmo para quem falta erudição é patente a falta de sustentação bíblica para a idéia de que o crente não deve pedir, e sim determinar, exigir sua bênção. RR Soares semeia um ensino pernicioso à fé, e como veremos em outros artigos, essa não é apenas uma filosofia cristã inocente, pois chega ao ponto de tornar Deus obsoleto. Se eu pudesse determinar alguma coisa, determinaria que ele percebesse o erro a que está induzindo muitas pessoas, se retratasse e deixasse a Bíblia dizer o que diz.

Fonte: [ Soli Deo Gloria ]

.
Imprimir ou salvar em PDF

6 comentários

Excelente artigo. Deus nos ilumine contra as heresias.

Paz e Graça!

Responder
Anônimo mod

Exigir a quem? Deus ou diabo? Quem causa as doenças, os problemas em geral, Deus ou o diabo? A quem o cristão tem autoridade?

Responder
FERNANDO mod

Exigir de quem? Deus ou diabo? Quem é o causador de males? Deus ou diabo? O cristão tem autoridade sobre quem? Deus ou o diabo?

Responder

Nao precisa nem ir no dicionàrio para entender isso.

Determinar, exigir algo de Deus?
Esses caras estao loucos.

Nao entenderam a graça.

Imagine se Deus nos tratasse assim, exigindo, determinando.

Nòs o odiariamos.

Responder

Sinceramente acho que você não sabe nada de Reino de Deus pois sobre o livro exija seus direitos já li e fui muito abençoado e em nenhum momento ali diz sobre dar ordens a Deus ali diz para você exigir que o mal saia da nossa vida que é o que Jesus ensinou muito bem escrito seu artigo mais você está completamente enganado sobre o que é direito espiritual.

Responder

ORAR A DEUS DETERMINANDO NÃO É BÍBLICO!!!
Hoje em dia, as heresias mais comuns no meio evangélico são: DETERMINAR e PROFETIZAR. "Determine a benção"; "determine a cura"; "determine a quebra de maldição"; "determine sua prosperidade financeira"; "tome posse da benção"; ou "eu profetizo a benção"; "eu profetizo a cura"; "eu profetizo a quebra de maldição"; "eu profetizo a prosperidade financeira"; "profetize a sua vitória".

Quando se diz "eu determino" ou "eu profetizo", significa que essa pessoa NÃO TEM submissão a Deus, pois ORDENA que algo aconteça, algo que vem do seu "próprio espírito". Essas condutas, conforme a Palavra de Deus em 2 Coríntios 11:13, provém de SATANÁS, que é quem sempre quis tomar o lugar de Deus, imitando Ele (Deus), agindo e falando como se fosse Ele (Deus). Por isso, um crente que tem a arrogância de determinar ou profetizar, dando ordens a Deus do que quer, certamente está com o ESPÍRITO DE SATANÁS, e é seu apóstolo!!!

Deus não depende das palavras dos homens para agir. Deus é e sempre será soberano; Senhor de todas as coisas. O Deus da Bíblia "fez (e faz) tudo como lhe agradou(a)" (Salmo 115:3). Nós estamos submissos à sua vontade e não Ele à nossa. É muita pretensão determinar coisas como se Deus estivesse aos nossos préstimos. Somos servos, e não senhores; somos barro; Ele, o oleiro. "Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: por que me fizeste assim?" (Romanos 9:18).

Um verdadeiro servo de Cristo sabe que JAMAIS deve orar DETERMINANDO, e sim, PEDINDO, conforme a vontade soberana de Deus! Jesus nos ensinou a PEDIR e SUPLICAR, e nunca DECRETAR!!! (Mateus 7:7-11). O verdadeiro crente ora em humildade e no temor do Senhor. É Deus quem determina; é Deus quem decreta; é Deus quem declara; é Deus quem abençoa (Lucas 22:22; Atos 2:23; 7:44; 13:47; 1 Coríntios 14:34; 1 Timóteo 6:15; 2 Timóteo 1:9; Hebreus 4:7; Apocalipse 11:18).

Nenhum homem têm o poder para fazer com que Deus o abençoe. Deus não recebe ordens de homens! O critério final para que Deus abençoe alguém não reside na fé que a pessoa tem, mas sim em Sua vontade soberana.

Se decretar fosse o correto, teríamos que alterar algumas passagens bíblicas, como:
1) Mudaríamos Mateus 7:7-8: "PEDI, e dar-se-vos-á... pois aquele que PEDE, recebe" para "DECRETE, e dar-se-vos-á... pois aquele que DECRETA, recebe";
2) Mudaríamos João 16:24: "até agora nada PEDISTES em meu nome; PEDI, e recebereis..." para "até agora nada EXIGISTE em meu nome; DECLARE, e recebereis...";
3) Mudaríamos Tiago 1:5: "e, se algum de vós tem falta de sabedoria, PEÇA-a a Deus, que a todos dá liberalmente..." para "e, se algum de vós tem falta de sabedoria, EXIJA-a a Deus, que a todos dá liberalmente...".

Se precisássemos apenas DECLARAR / DETERMINAR / DECRETAR para que as circunstâncias adversas fossem resolvidas e vivêssemos rica e abundantemente sem problemas, então porque a Bíblia dá tanta ênfase a suportar o sofrimento?
1) Moisés SUPLICOU a Deus para que entrasse em Canaã (Deuteronômio 3:23-25)
2) Esdras PEDIU segurança e proteção a Deus para levar ouro, prata e outras ofertas ao Templo em Jerusalém (Esdras 7:21-22)
3) Daniel SUPLICOU a Deus para acabar com a desolação de Jerusalém (Daniel 9:17-19)
4) Jó sofreu o que sofreu e NUNCA disse para Deus em oração: "eu determino!" ou "eu exijo!". Jó tinha espírito de quem amava e temia a Deus
5) Se o apóstolo Paulo soubesse dessa novidade do "eu determino" teria exigido a cura de seu espinho na carne, que ele pediu três vezes a Deus para retirá-lo e Deus não o atendeu (2 Coríntios 12:8)
6) Paulo também não decretou ou determinou que Timóteo fosse curado da doença que possuía no estômago, mas o aconselhou a manter o hábito de tomar um pouco de vinho (1 Timóteo 5:23).

Responder

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

1 - Poste somente o necessário. Se quiser colocar estudos, artigos ou textos grandes, mande para nós por e-mail: bereianos@hotmail.com

2 - A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Comentários com conteúdo ofensivo não serão publicados, pois debatemos idéias, não pessoas. Discordar não é problema, visto que na maioria das vezes redunda em edificação e aprendizado. Contudo, discorde com educação e respeito.

3 - Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

4 - A aprovação de seu comentário seguirá os nossos critérios. O Blog Bereianos tem por objetivo à edificação e instrução. Comentários que não seguirem as regras acima e estiver fora do contexto do blog, não serão publicados.

Para mais informações, clique aqui!

Blog Bereianos!