Não sei as línguas originais! O que posso fazer?

.
O mundo ideal seria aquele em que todos os cristãos fossem profundos conhecedores das línguas originais da Bíblia para potencializar o estudo da Palavra ao máximo. Bem sei que isso é uma utopia. Estudar grego e hebraico, para alcançar um domínio mínimo dessas línguas a ponto de superar as limitações de uma tradução, não é tarefa para qualquer pessoa. Requer aptidão, muita dedicação, tempo e investimento com aulas e livros.

Nenhuma tradução será perfeita, e o conhecimento da língua original permite ir mais longe do que a tradução pôde expressar. Mas se você não pode recorrer aos originais, o que você fazer? A melhor recomendação seria: compre todas as versões (traduções) diferentes que você encontrar. Comparando as diversas traduções disponíveis no mercado brasileiro é possível trabalhar, com muito mais segurança, a hermenêutica de alguns textos mesmo sem conhecer os originais. Vou citar apenas um exemplo.

“Porém tu és Santo, o que habitas entre os louvores de Israel.”
Salmo 22:3 [ARC]

Muitos são levados a acreditar que Deus verdadeiramente “habita” nos louvores por causa da tradução da Almeida Revista e Corrigida ou Corrigida e Fiel. Acreditam que o salmista esteja afirmando que Deus estará presente sempre que se entoar um louvor. Mas vamos, antes de tirar quaisquer conclusões, comparar com a Almeida Revista e Atualizada, ou Almeida Edição Contemporânea: "Contudo tu és santo, entronizado entre os louvores de Israel.”

Eu não preciso recorrer aos originais para descobrir que a palavra hebraica para “habitar” também pode significar “entronizar”. Não preciso recorrer aos originais para entender que o salmista, na verdade, queria dizer que Deus estava no centro dos louvores, Deus era o “tema”, Deus era engrandecido nos louvores de Israel. Não se louva outro Deus além do SENHOR em Israel! Essa era a mensagem do salmista (Se desejar, lei este estudo exegético mais completo do Salmo 22:3 clicando aqui).

Acredito que o exemplo do Salmo 22:3 é suficiente para mostrar a importância de possuir diversas versões (traduções) da Bíblia para comparar textos difíceis de entender, principalmente para as pessoas que não sabem os originais (grego e hebraico).

Se você acha que nunca aprenderá esses idiomas tão estranhos, não deixe de estudar e conhecer cada vez mais a Palavra de Deus mesmo em português. A Palavra de Deus em português é poderosa para a sua edificação e para o seu sustento espiritual pleno. O que não pode é também apresentar deficiência na língua portuguesa e acabar distorcendo ou não entendo os ensinos de Deus para a sua vida.

Se você tem dificuldades para ler uma versão como a Almeida Revista e Corrigida, Revista e Atualizada, Corrigida e Fiel ou a Edição Contemporânea, adquira uma Bíblia com a Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH) da Sociedade Bíblica Brasileira. O que importa é alimentar-se e ser produtivo!

Autor: André R. Fonseca
Fonte: [ Site do autor ]

Imprimir ou salvar em PDF

6 comentários

Olá,

Em sua mensagem,você indica a BÍBLIA NA LINGUAGEM DE HOJE.Mas essa versão foi tão criticada por teólogos brasileiros,sobretudo os da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil.Por que a indicação?

Eu tenho ficado muito triste com todas essas coisas...falo da interpretação da Bíblia.

Certo dia eu estava pregando evangelho para um senhor analfabeto e ele fez a seguinte pergunta:"meu filho,eu não sei ler.Como posso ser crente? Isso é para quem sabe ler." Acho que ele tá com a razão.

Tenho ouvido muitos teólogos falando sobre este assunto,e como no Catolicismo Romano,só faltam dizer:só o "Papa" pode interpretar corretamente as Escrituras Sagradas(não estou falando do caso).

Coitado dos discípulos de Cristo,falo dos doze,a maioria era analfabetos,assim como eu.

Clerton.

Responder
Anônimo mod

esta mistura de versões não iria trazer confusão ? a ACF não seria a melhor opção ?

vale a leitura:
http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-Traducoes/Desculpe-meQueroComprarBiblia-Julio.htm

Ricardson Albuquerque.

Responder
Anônimo mod

Realmente, não saber as línguas originais bíblicas é um problema, porém não é motivo para se deixar de estudar, e uma solução seria essa mesma de verificar as várias traduções. Concordo contigo.
O Súdito.
http://suditosdoreino.blogspot.com/

Responder

A paz em Cristo,


Muito boa explanação sobre salmos 22:3, gosto muito de procurar a revelação nas entrelinhas. E essa sistemática nos ajuda e muito a não tirar conclusivas de texto complexos.

em Cristo.

www.expressandoaverdade.blogspot.com

Responder

Corretíssimo; não há dúvidas de que não é necessário ser erudito nos originais para se conhecê-los, basta valorizar os originais e tirar todo proveito possível no estudo das exegeses já realizadas por muitos irmãos eruditos. (comentários, dicionários, etc)

O problema da Igreja atual é ser indiferente com os trabalhos intelectuais cristãos já a tempos consolidados! É a preguiça intelectual reinante - para muitos, um texto como esse postado, com tão excelente conselho, é um escândalo!

Abraços
Orlando

Responder

Ricardson Albuquerque,
Infelizmente quem defende a ACF não entende nada de tradução e não tem a mínima competência para criticar as outras traduções. A ACF é de longe a pior opção em tradução. Ou você vai querer defender que a palavra "fezes" em Jeremias 48:11 é um primor de tradução da ACF? "Moabe esteve descansado desde a sua mocidade, e repousou nas suas fezes, e näo foi mudado de vasilha para vasilha, nem foi para o cativeiro; por isso conservou o seu sabor, e o seu cheiro näo se alterou."

Sem falar que o pessoal da solascriptura confunde o que é problema de tradução com divergência de base textual. Se vc estudar um pouquinho sobre a origem do Texto Recebido e do Texto Crítico ou Majoritário, entenderá que os argumentos do solascriptura são furados!


Em Cristo,
André R. Fonseca

Responder

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

1 - Poste somente o necessário. Se quiser colocar estudos, artigos ou textos grandes, mande para nós por e-mail: bereianos@hotmail.com

2 - A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Comentários com conteúdo ofensivo não serão publicados, pois debatemos idéias, não pessoas. Discordar não é problema, visto que na maioria das vezes redunda em edificação e aprendizado. Contudo, discorde com educação e respeito.

3 - Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

4 - A aprovação de seu comentário seguirá os nossos critérios. O Blog Bereianos tem por objetivo à edificação e instrução. Comentários que não seguirem as regras acima e estiver fora do contexto do blog, não serão publicados.

Para mais informações, clique aqui!

Blog Bereianos!