Sinais visíveis de uma graça invisível

.


Dos Dias 8 e 22 o Catecismo de Heidelberg tratou dos pontos concernentes à fé cristã, ou seja, aquilo que a Bíblia mostra como verdade a ser crida, professada e proclamada. Nos Dias 23 e 24 vemos que a fé é o único meio que o pecador tem de ser justificado diante de Deus, e que nada que fizermos contribuirá para a nossa salvação.

Já no Dia 25 veremos que não há salvação fora de Cristo e essa declaração “de que não há salvação fora de Cristo” para a mente moderna é antiquada. Há pessoas que colocam, como na explicação do 23º Dia do Senhor, a fé em sua própria fé. Outros creem que qualquer tipo de caminho, pode ser viável para alcançarmos salvação, outros ainda, por acharem a igreja corrupta e formada por pecadores, afirmam que participar dos cultos e dos sacramentos não seja obrigatório.

Mas alguém poderá questionar: isso não seria uma contradição, analisando o último ponto levantado? Pois, se não há salvação fora de Jesus Cristo, como podemos dizer que é errado o participar dos cultos e dos sacramentos; tal ato não seria um meio de salvação?

Sim e não. Se nós colocarmos qualquer coisa que venhamos fazer como meio para sermos salvos, isso é errado, visto que não fazemos boas obras para sermos salvos, mas fazemos boas obras porque somos salvos e foi para isso que Deus nos destinou (Tg 2.24; cf. Ef 2.10).

Da mesma forma é com os sacramentos os quais são como meios de graça que o nosso Senhor instituiu à igreja para que possamos fortalecer a nossa fé, como mostra o Catecismo (P/R 67).

Dito isso, podemos dizer que esse é o diferencial de qualquer outra religião ou ideologia que colocam vários caminhos para as pessoas serem salvas. Porque o Catecismo vai nos ensinar três coisas básicas: De onde vem à fé? Como a fé é produzida? E como a fé é fortalecida?

De onde vem a fé e como ela é produzida?

65. Visto que somente a fé nos faz participar de Cristo e de todos os seus benefícios, de onde vem esta fé?
R. Vem do Espírito Santo (1) que a produz em nossos corações pela pregação do Evangelho (2), e a fortalece pelo uso dos sacramentos (3). 
(1) Jo 3:5; 1Co 2:12; 1Co 12:3; Ef 1:17, 18; Ef 2:8; Fp 1:29. (2) At 16:14; Rm 10:17; 1Pe 1:23. (3) Mt 28:19.

A fé para salvação não é um produto humano. Mesmo que o homem fora criado à imagem e semelhança de Deus, isso não lhe garante qualquer meio em si mesmo para que possa ser salvo. A Bíblia é bem clara em mostrar que a fé é dom de Deus (Ef 2.8), pois outrora o homem estava morto em pecado necessitando de um novo nascimento.

Portanto, se a Bíblia mostra que a condição do homem é uma “morte espiritual”, logo, o pecador não consegue ouvir e entender, como mostra Isaías 6 e Jo 12.37-43, a pregação do Evangelho. No entanto, nos escolhidos, o Espirito Santo age poderosamente por intermédio da pregação do Evangelho fazendo com que este pecador nasça de novo e creia em Jesus Cristo:

De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” (Rm 10.17)

Em quem também vós estais depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa.” (Ef 1.13)

Não obstante, o Catecismo continua nos mostrando que essa fé que recebemos pelo Espirito Santo através da pregação é fortalecida por meio dos sacramentos. E assim surge o nosso terceiro ponto básico.

Como a fé é fortalecida?

66. Que são sacramentos?
R. São visíveis e santos sinais e selos. Deus os instituiu para nos fazer compreender melhor e para garantir a promessa do Evangelho, pelo uso deles. Essa promessa é que Deus nos dá, de graça, o perdão dos pecados e a vida eterna, por causa do único sacrifício de Cristo na cruz (1).
(1) Gn 17:11; Lv 6:25; Dt 30:6; Is 6:6,7; Is 54:9; Ez 20:12; Rm 4:11; Hb 9:7,9; Hb 9:24.
67. Então, tanto a Palavra como os sacramentos têm a finalidade de apontar nossa fé para o sacrifício de Jesus Cristo na cruz, como o único fundamento de nossa salvação (1) ?
R. Sim, pois o Espírito Santo ensina no Evangelho e confirma pelos sacramentos que toda a nossa salvação está baseada no único sacrifício de Cristo na cruz.
(1) Rm 6:3; Gl 3:27.
68. Quantos sacramentos Cristo instituiu na nova aliança?
R. Dois: o santo batismo e a santa ceia.

A nossa fé é fortalecida por meio daquilo que chamamos “meios de graça”. Meios de graça são instrumentos que a Bíblia nos mostra onde Deus concede benção para seu povo. No entanto, temos que entender que os meios de graça em si não possuem nenhum poder miraculoso ou sobrenatural. Pense em um fio de energia de uma residência. O fio desta instalação elétrica não é nada em si mesmo, porém é por meio deste fio que vem a energia elétrica e faz a lâmpada acender e o aparelho de som toque a nossa música preferida. Da mesma forma são os meios de graça, eles são os canais pelos quais Deus nos concede força, paz, conforto, instrução, disciplina, orientação, alegria e muitas outras coisas necessárias à vida cristã.

E os sacramentos, como explicado na (P/R 66 e 68), são sinais visíveis de uma graça invisível, os únicos instituídos por Jesus Cristo “para nos fazer compreender e garantir a promessa do evangelho, pelo uso deles”. No entanto, eles só possuem tal função por causa da obra sacrificial feita na cruz por nosso Senhor.

Conclusão

Voltando a pergunta inicial: Por que então eu devo participar dos sacramentos se a salvação está em Cristo?

O próprio Catecismo nos responde:

“pois o Espírito Santo ensina no Evangelho e confirma pelos sacramentos que toda a nossa salvação está baseada no único sacrifício de Cristo na cruz.”

Ou seja, é por intermédio dos sacramentos que lembramos daquilo que Cristo fez por nós e em nós. No batismo nós nos lembramos da purificação de nossos pecados e do novo nascimento produzido pelo Santo Espirito, e que não pertencemos a nós mesmos, mas pertencemos a Cristo sendo um sinal distintivo do mundo.

Na Santa Ceia nós nos lembramos da morte de Jesus em nosso lugar derramando o Seu sangue e tendo o seu corpo ferido em nosso lugar, no entanto, além da Ceia nos lembrar da morte substitutiva de Jesus Cristo, nós temos a certeza de nossa comunhão com Ele sendo renovados e fortalecidos, e testificando o nosso amor por Cristo e por nossos irmãos na fé.

***
Autor: Denis Monteiro
Fonte: Bereianos
.
Imprimir ou salvar em PDF

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

1 - Poste somente o necessário. Se quiser colocar estudos, artigos ou textos grandes, mande para nós por e-mail: bereianos@hotmail.com

2 - A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Comentários com conteúdo ofensivo não serão publicados, pois debatemos idéias, não pessoas. Discordar não é problema, visto que na maioria das vezes redunda em edificação e aprendizado. Contudo, discorde com educação e respeito.

3 - Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

4 - A aprovação de seu comentário seguirá os nossos critérios. O Blog Bereianos tem por objetivo à edificação e instrução. Comentários que não seguirem as regras acima e estiver fora do contexto do blog, não serão publicados.

Para mais informações, clique aqui!

Blog Bereianos!