Jesus nasceu de uma virgem

.

Por Denis Monteiro

14º Dia do Senhor
35 - O que você entende, quando diz que Cristo "foi concebido pelo Espírito Santo e nasceu da virgem Maria"?
R. Entendo que o eterno Filho de Deus, que é e permanece verdadeiro e eterno Deus, tornou-se verdadeiro homem da carne e do sangue da virgem Maria, por obra do Espírito Santo.  Assim Ele é, de fato, o descendente de Davi igual os seus irmãos em tudo, mas sem pecado.
36 - Que importância tem para você Cristo ter sido concebido e nascido sem pecado?
R. Que Ele é nosso mediador e com sua inocência e perfeita santidade, cobre diante de Deus meus pecados no qual fui concebido e nascido. 
Catecismo de Heidelberg (1563)

Todos os que nascem neste mundo nascem de uma mulher que já não é mais virgem. Porém, Jesus também nasceu neste mundo e nasceu de uma mulher, mas há um diferencial para a história da humanidade; Jesus Cristo nasceu de uma mulher virgem, ou seja, que não teve nenhum contato com homem. E essa afirmativa foi justamente o que Maria perguntou ao anjo quando disse que ela seria mãe: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum? (Lc 1.34).

Claro, a dúvida de Maria foi sanada logo após o esclarecimento do anjo: “Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a Tua palavra. E o anjo ausentou-se dela” (Lc 1.38). 

Mas as dúvidas sobre a veracidade do nascimento virginal de Cristo não vem de hoje, alguns até comparam o relato dos Evangelhos sobre o nascimento de Cristo como se fosse uma fábula pelo fato de ser parecida com alguns relatos em outras religiões, no mitologismo pagão. No entanto, podemos fazer algumas objeções a esse pensamento, pode alguém propagar uma história a judeus, inicialmente tentando convertê-los, onde, nesta história tivesse elementos pagãos? Seria um péssimo marketing para a seita judaica: o cristianismo. 

Entretanto, há uma pergunta essencial e duas respostas (pelo menos) concretas que diferenciam a necessidade do nascimento virginal de Cristo com outras religiões que tem a mesma “teoria”, mas uma coisa deve ficar bem clara: Jesus não teve que nascer de uma virgem para que Ele não fosse pecador, como se o sexo fosse transmissor de pecado, pois Cristo de qualquer forma seria e é santo porque isso faz parte de Sua natureza. Voltando a pergunta: Por que era essencial que Cristo nascesse de uma virgem? 

Primeiro, por intermédio do nascimento virginal de Cristo nós temos a certeza que se tornou verdadeiro homem. Ou seja, Cristo era Deus-Homem. Se Cristo não fosse homem nós não poderíamos acreditar em sua humanidade plena e nem na promessa que há na Escritura de que Jesus teria que ser da descendência de Davi, o verdadeiro herdeiro do trono (2 Sm 7.12), agora se Jesus não foi verdadeiramente homem todas as tentações que ele sofreu, todas as suas dores, agonias e sua morte podem ser contestadas. 

E por último, vemos acima que Cristo tinha que ser um homem verdadeiro, mas o Catecismo não para por ai. De forma resumida, explicando na resposta 36, a necessidade do nascimento virginal de Cristo faz com que tenhamos certeza em sua obra de redenção. Pois, Cristo sendo o nosso sumo sacerdote humano, compadeceu de nossas dores, porem não pecou em nenhum momento, oferecendo-se de uma vez por todas fazendo eterna redenção (Hb 4.15; 7.26,27). 

Por isso é importante crer que Cristo nasceu de uma virgem. Pois temos plena certeza da humanidade de Cristo e de sua perfeita redenção feita em lugar dos eleitos, sendo o segundo Adão, fazendo uma obra superior a de Adão levando sobre Ele nossas dores e nos justificando. Caso contrário, toda obra de redenção que a Bíblia mostra seria considerada mentira. 

***
Fonte: Bereianos
.
Imprimir ou salvar em PDF

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

1 - Poste somente o necessário. Se quiser colocar estudos, artigos ou textos grandes, mande para nós por e-mail: bereianos@hotmail.com

2 - A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Comentários com conteúdo ofensivo não serão publicados, pois debatemos idéias, não pessoas. Discordar não é problema, visto que na maioria das vezes redunda em edificação e aprendizado. Contudo, discorde com educação e respeito.

3 - Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

4 - A aprovação de seu comentário seguirá os nossos critérios. O Blog Bereianos tem por objetivo à edificação e instrução. Comentários que não seguirem as regras acima e estiver fora do contexto do blog, não serão publicados.

Para mais informações, clique aqui!

Blog Bereianos!