Sobre a participação do Thalles no The Noite

.

Por Denis Monteiro


Não é de hoje que alguns ícones cristãos participam dos talk shows. E dificilmente vi algum expoente do evangelicalismo moderno se sair bem.

O maior problema destas participações são os temas tratados os quais afrontam o convidado, sem que ele de fato perceba. Por exemplo, quando o pastor Silas Malafaia participou do programa The Noite, Roger, guitarrista e vocalista da banda do programa, tocou a música Money como forma de satirizar a doutrina da prosperidade enfatizada pelo pastor. No dia em que o Thalles Roberto participou do mesmo programa não foi diferente (veja aqui), Danilo aproveitou a deixa para falar sobre religião, enquanto Thalles falou sobre a Trindade, negação de Deus na religião e sobre a sua conversão. Está certo isso?

Thalles começa explicando sobre a Trindade com a famosa frase “a minha vida é dos três”. Está certo isso? O cristianismo ortodoxo, o qual confessamos, reformado, não nega a doutrina da Trindade. Aprendemos que há certo tipo de “economia da trindade”, economia não no sentido de que Deus se economiza como cortar custos para reduzir algo, mas no seu sentido de ação, de trabalho. Um exemplo claro é a obra de salvação, ela é caracterizada pela a ação da Trindade. Veja estes exemplos: 

               • Deus elege – Efésios 1.3-5
               • Cristo redime – Efésios 1.6-12
               • Espirito Santo sela  Efésios 1.13-14

Desta forma, mostra o apóstolo Pedro: Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas.” (1Pe 1.2) Perceba qual a função de cada um na obra de salvação: Deus elege, o Espirito Santo santifica e Jesus Cristo asperge com seu sangue. Isso é o que podemos chamar de “economia da Trindade”, ou seja, as formas que cada um trabalha na salvação do pecador.

Agora, “a minha vida é dos três” está certo? Bom, vimos que a Trindade age ativamente na salvação do pecador e em cada aspecto da salvação. Creio que o maior problema dessa frase é a distorção que ela causa nos ouvidos de quem a escuta. Sabemos que a doutrina da Trindade é uma das mais debatidas no meio do cristianismo, começando pelos Pais da Igreja. Mas vamos olhar confessionalmente para um dos credos mais antigos sobre o tema, o Credo Atanasiano:

A fé católica consiste em adorar um só Deus em três Pessoas e três Pessoas em um só Deus. Sem confundir as Pessoas nem separar a substância. Porque uma só é a Pessoa do Pai, outra a do Filho, outra a do Espírito Santo. Mas uma só é a divindade do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, igual a glória é coeterna a majestade. Tal como é o Pai, tal é o Filho, tal é o Espírito Santo. O Pai é incriado, o Filho é incriado, o Espírito Santo é incriado. O Pai é imenso, o Filho é imenso, o Espírito Santo é imenso. O Pai é eterno, o Filho é eterno, o Espírito Santo é eterno. E contudo não são três eternos, mas um só eterno. Assim como não são três incriados, nem três imensos, mas um só incriado e um só imenso. Da mesma maneira, o Pai é onipotente, o Filho é onipotente, o Espírito Santo é onipotente. E contudo não são três onipotentes, mas um só onipotente. Assim o Pai é Deus, o Filho é Deus, o Espírito Santo é Deus. E contudo não são três deuses, mas um só Deus. Do mesmo modo, o Pai é Senhor, o Filho é Senhor, o Espírito Santo é Senhor. E contudo não são três senhores, mas um só Senhor. Porque, assim como a verdade cristã nos manda confessar que cada uma das Pessoas é Deus e Senhor, do mesmo modo a religião católica nos proíbe dizer que são três deuses ou senhores.

Veja, o credo Atanasiano trabalha de forma bem didática a Trindade, mostrando os trabalhos de cada Pessoa, contudo, não são três senhores. Então, se eu digo que a minha vida é dos três eu estou declarando que há três senhores sobre a minha vida. Sim, sabemos que o tema é complicado. Mas se não sabemos falar sobre o tema, devemos aprender calado, ler bons livros e ouvir bons pregadores e professores. 

Thalles, no programa, vai dizer que a religião é ruim, segundo as palavras do Danilo, ela já fez mal para muitas pessoas. Baseado nisso, Thalles diz que há a possibilidade de falar de Deus sem falar de religião. A primeira coisa que ele confunde é denominação com religião. Denominação é o nome dado a certa instituição ligado à alguma religião. Religião, segundo o termo latim é religar. Como cremos que Cristo como nosso mediador, cremos, pelo testemunho da Escritura (Antigo e Novo Testamento) que a religião cristã é a correta e que Cristo nos religa a Deus. Então, sim, temos uma religião que se chama cristianismo. 

Agora, talvez o que Thalles deveria ter em mente era a mesma coisa daqueles adesivos “mais Jesus Cristo, menos religião” que vemos por ai, mostrando que religião e Cristo não combinam. Quando Cristo atacava a religião de sua época, na verdade não era a religião em si, mas a religiosidade que havia. Baseada na Lei Cerimonial do Antigo testamento, Cristo cumpriu com tudo o que a religião pedia sem falar que era errado. Errado era a forma que os lideres religiosos de sua época conduzia a religião. Tiago, o apóstolo, vai condenar a religiosidade falsa baseado em palavras e morta nas obras. Por isso, ele diz: A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo (Tg 1.27). Tiago não condena a religião, mas a religiosidade.

Por fim, Thalles fala de sua conversão. Algumas pessoas que comentaram um artigo de um colega meu em sua fan page disseram que, em outros vídeos, Thalles afirmou que foi a igreja quando se converteu. Tomando por base a afirmação do próprio Thalles, ele disse que, doidão, foi comprar um livro com a intensão de que o conteúdo o trouxesse paz, acabou por comprar uma Bíblia, leu e se converteu. Bom, é assim que a Bíblia mostra a conversão? 

Primeiro, nós temos um caso na Bíblia que alguém estava lendo a Escritura, mas não entendia nada (Atos 8.26-38). Felipe, o diácono até então, se achega próximo ao carro do eunuco e lhe explica a passagem do profeta Isaias, porque o eunuco tinha lhe dito: Como poderei entender, se alguém não me explicar?” (v.31). O eunuco, segundo mostra o texto, não estava sob o efeito de drogas e não entendia o texto. Como alguém sob o efeito de drogas pode entender um texto bíblico sobre a obra de salvação por Cristo Jesus e ser salvo? Alguém poderá dizer: “Irmão isso é um ‘mixtério’, é uma obra sobrenatural do Espírito. Ninguém entende, há liberdade no Espírito”. Bom, não é assim que a Escritura mostra como algum pecador pode ser salvo. Paulo diz: De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. (Rm 10.17), e também: depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa; (Ef 1.13)

Veja que Paulo não diz que após a leitura bíblica, sob efeito de drogas ou não, eu serei iluminado e convertido. A Bíblia é clara em mostrar que o nosso entendimento, antes da conversão, era entenebrecido e distante de Deus (Ef 4.18). A pregação fiel da Escritura é o meio pelo qual Deus age com seu Espirito na vida do pecador para que o mesmo seja salvo de seus pecados, sendo transportado das trevas para a sua maravilhosa luz. 

Não estou dizendo que o Thalles não seja salvo, mas que essas explicações sobre Trindade, religião e conversão que ele apresentou no programa não se enquadra na Escritura. Oro para que ele seja iluminado por Deus e venha entender as doutrinas Bíblicas, as quais ele distorce.

***
Fonte: Bereianos
.
Imprimir ou salvar em PDF

6 comentários

Arius e suas vítimas...

"Evangélicos" ao retorno das heresias que a Igreja Católica combateu.

Onde isso vai parar?

Lucia

Responder
Fabiano mod

Com todo respeito, não concordo com a esta sugestão de que a pessoa teoricamente não pode se converter apenas lendo a bíblia, mas precisa ouvir de alguém a palavra de Deus. Coitados dos surdos então! Sem contar que é contraditório com o fato de dizermos que a bíblia é a palavra de Deus. Então a pessoa não ouve a palavra de Deus ao ler o que Jesus disse? Não podemos limitar a ação do Espírito.

Argumentar com base no caso do etíope e Felipe é controverso porque nem existia o novo testamento ainda, é óbvio que alguém precisava contar pra ele sobre Jesus.

Ler e ouvir não faz diferença, o Espírito é quem trabalha com a informação que a pessoa recebeu e a convence.

Responder

Bom, citei o caso do Etíope porque é um exemplo claro de que o Evangelho é para ser propagado ao pecador. E como mostrei acima o meio pelo qual a pessoa recebe fé é ouvindo o Evangelho.

A Bíblia é Palavra de Deus de qualquer modo, até no modo pela qual Paulo fala de que o Evangelho é morte para aqueles que se perdem.

Os surdos são evangelizados pelo método libras. Agora, só o fato da Bíblia estar completa anula o Evangelismo? Pois, é só dar ao pecador e já era, ele está sendo Evangelizado e vai ser salvo.

Agora, como um pecador tem a mente obscurecido pode entender o Evangelho? Paulo disse que o homem natural não compreende as coisas espirituais.

Responder
Fabiano mod

Denis, o que eu quis dizer é que pro Espírito não faz diferença se a pessoa ouve ou lê. Da mesma forma que Ele retira a obscuridade da mente de quem ouve Ele pode muito bem fazer com quem lê. Porque não?
Ele tem poder pra abrir os olhos espirituais e converter qualquer um do jeito que Ele quiser, contanto que a pessoa tenha acesso à mensagem do evangelho. Se a pessoa leu a bíblia ou um livro ou folheto evangelístico, a mensagem não foi pregada pra ela?

A pregação não está limitada apenas sons (voz) e sinais (libras).

Responder
Fabiano mod

Estou desapontado com vocês por não aprovarem meu último comentário.
Não fui ofensivo nem nada, só mostrei que esta interpretação do autor a respeito do ouvir a palavra está errada. Orgulho é dureza mesmo...

Sou reformado e isto que desanima às vezes com alguns reformados, usam ortodoxia como desculpa para encaixotar as ações de Deus, parece até que, ah deixa pra lá... estou perdendo meu tempo, pelo jeito acreditam piamente nesta tolice de que o Espírito não pode converter ninguém sem que alguém fale com a pessoa, é, vai ver a Palavra não é suficiente mesmo, precisa da gente dar uma força. E ainda creem na soberania... vai entender...

E se não publicaram porque não viram, me desculpe. Mas depois de 2 dias duas é muito difícil que seja por isto.

Responder

Caro Fabiano:

Como pode notar, o seu "último comentário" o qual você afirmou que não aprovamos, na verdade foi publicado normalmente neste momento. Podemos demorar um pouco para moderar os vários comentários postados aqui no blog, o fluxo é muito grande. Portanto, pedimos paciência, pois se seus comentários seguirem as nossas regras, de maneira nenhuma será bloqueado.

Grato pela compreensão.

Responder

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

1 - Poste somente o necessário. Se quiser colocar estudos, artigos ou textos grandes, mande para nós por e-mail: bereianos@hotmail.com

2 - A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Comentários com conteúdo ofensivo não serão publicados, pois debatemos idéias, não pessoas. Discordar não é problema, visto que na maioria das vezes redunda em edificação e aprendizado. Contudo, discorde com educação e respeito.

3 - Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

4 - A aprovação de seu comentário seguirá os nossos critérios. O Blog Bereianos tem por objetivo à edificação e instrução. Comentários que não seguirem as regras acima e estiver fora do contexto do blog, não serão publicados.

Para mais informações, clique aqui!

Blog Bereianos!